Cidade antiga de Bosra; Património da Humanidade na Síria

0

Quando se viaja muito em redor do Mediterrâneo chega-se a uma altura em que as ruínas romanas se começam a tornar repetitivas. Tudo muda quando se chega as Bosra. Bosra é diferente. Os tijolos de barro e as pedras de cor clara, como o mármore ou o calcário, dão aqui lugar a um basalto escuro, quase preto.

A cidade, fundada no século XIVa.c., Bosra foi depois a primeira cidade dos Nabateus e mais tarde conquistada pelos romanos no ano 106, vindo mesmo a ser a capital da província da arábia. Foi sob o domínio romano que foi construída a mais significante obra desta cidade que chegou aos nossos dias: o teatro.

Ruínas do teatro romano de Bosra, Síria

Com capacidade para acolher 15 mil espectadores, é um dos teatros romanos melhor conservados do mundo. Uma boa parte da culpa deste teatro ter chegado assim aos nosso dias é das obras que sofreu após a conquista da cidade pelos árabes em 634 e que o converteram numa citadela, conservando na mesma o teatro.

Ruínas da cidade romana de Bosra, Síria

Outro facto interessante desta cidade e que também a distingue das restantes, é que a cidade nunca foi completamente abandonada e hoje as pessoas continuam a viver no meio das ruínas! Há casas sobre os arcos romanos, o cardo ainda continua a ser uma rua viva com o pavimento romano e as entradas das casas ladeadas de colunas romanos.

Vivendo no meio das ruínas romanas de Bosra, património da humanidade na Síria

Como chegar e visitar

Bosra é facilmente visitável a partir de Damasco numa viagem de um dia. Os autocarros para Bosra saem da estação de As-Sumaria, a mesma de onde saem os que vão para o sul do país, Líbano e Jordânia. O bilhete Damasco – Bosra custa 100SP e a viagem dura cerca de 2 horas. Convém chegar cedo à garagem ou comprar o bilhete no dia anterior para garantir lugar. Os autocarros param depois a alguns metros para lá do teatro, e deve comprar o bilhete de regresso logo que chega. Compre mesmo! Não deixe para depois porque os autocarros enchem depressa e pode não ter lugar. Se por acaso se esquecer e não tiver lugar, pode pedir para ir de pé, mas paga o mesmo, e não tem condições.

Tanto quanto li nos guias e observei lá, o alojamento em Bosra limita-se a um hotel de 5 estrelas que fica junto ao teatro.
A visita às ruínas é gratuita, à excepção do teatro, que custa os normais 150SP / 10 SP (normal / estudante). Partindo da paragem dos autocarros, caminhe para o teatro passando pela enorme piscina da peregrinação e depois visite o teatro. As visitas são livres e normalmente não têm quase ninguém a visitar. Depois de sair do teatro, vagueie pela cidade. Logo ali fica o Cardo, com duas das portas da cidade nas extremidades e pelo resto da cidade pode ver ruínas de igrejas, mesquitas, arcos, colunas e ruínas que não se percebe muito bem que idade têm.

Porta da cidade romana de Bosra, Síria

Mapa de Bosra

Este artigo pode conter links afiliados.

Kit de Viagem

Quer organizar a sua viagem e ao mesmo tempo ajudar o projecto Dobrar Fronteiras? Siga os links abaixo para a suas reservas de hotéis, carros e seguros de viagem. Obrigado!

Olá! Eu sou o Samuel, autor do artigo que acabou de ler. Como você, também gosto de viajar e descobrir povos e lugares. Partilho neste blog as experiências vividas nos vários países por onde já andei. Pode saber mais sobre mim na página Sobre o autor. Espero que tenha gostado e, se tiver alguma coisa a acrescentar, deixe um comentário abaixo.

Ficou com dúvidas? Quer acrescentar alguma coisa? Deixe um comentário!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.