Países Visitados

Será possível conhecer todo o mundo numa só vida?

Estados soberanos visitados (41/206):

Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia, Vaticano, Mónaco, Alemanha, Turquia, Jordânia, Israel, Palestina, Egipto, Marrocos, Senegal, Guiné-Bissau, Roménia, Bulgária, Síria, Líbano, Republica Turca do Norte do Chipre, Chipre, Reino Unido, Ucrânia, Polónia, Luxemburgo, Bélgica, Holanda, Malta, Hungria, Republica Checa, Zimbábue, Moçambique, Etiópia, Qatar, Índia, Japão, Croácia, China, Coreia do Norte, Emirados Árabes Unidos

Outros países por onde já passei, mas pouco ou quase nada vi (10):


Sahara Ocidental, Mauritânia, Gâmbia, Eslováquia, Eslovénia, Suíça, África do Sul, Malawi, Botswana, Zâmbia

1990: Portugal, Espanha
1997: França
1999: Israel, Palestina, Sinai
2005: Guiné-Bissau
2006: Ceuta, Marrocos, Saara Ocidental, Mauritânia, Senegal, Gâmbia
2008: Itália, Vaticano, Grécia, Turquia, UAE, Jordânia, Egipto, Alemanha
2009: Andorra, Mónaco, Ilha da Madeira
2010: Roménia, Bulgária, Síria, Líbano, Chipre, Reino Unido
2011: Polónia, Ucrânia, Bélgica, Luxemburgo
2013: Holanda, Suíça, Malta
2014: Hungria e República Checa; Moçambique, África do Sul, Zimbábue, Malawi, Zâmbia, Botswana
2015: Etiópia
2016: Qatar, Índia, Japão
2018: Croácia, China
2019: Coreia do Norte
2020: (Tailândia)

Mas o mundo e as viagens não são só países. É verdade que é o método mais rápido de avaliar a progressão no mundo de um viajante, mas não deixa de ser demasiado simplista. Onze destes países que apresento na lista servem apenas para engrandecer o meu ego quando olho para este mapa, pois foram apenas passagens necessária para chegar a outros locais.

Gosto de números, gosto de contabilizar, mas não quero com isto entrar em competições para saber quem visitou mais ou menos, ou qual a melhor forma de viajar, se estar muito tempo num sitio se pouco, se visitar monumentos, se experimentar a vida nocturna, etc. Creio que cada um deve procurar aquilo que mais lhe interessa e essa será para si a viagem perfeita.

Eu pessoalmente foco as minhas viagens nestes 3 pontos: locais património da Humanidade (UNESCO), locais de interesse religioso, manifestações culturais. É por isso que de seguida apresento a lista de locais UNESCO que já visitei.

Locais UNESCO visitados:

  1. Mosteiro da Batalha (Portugal)
  2. Mosteiro de Alcobaça (Portugal)
  3. Convento de Cristo em Tomar (Portugal)
  4. Universidade de Coimbra – Alta e Sofia (Portugal)
  5. Santuário do Bom-Jesus do Monte em Braga (Portugal)
  6. Palácio Real, Basílica e Convento, Jardim do Cerco e Tapada de Mafra (Portugal)
  7. Sintra (Portugal)
  8. Mosteiro dos Jerónimos e Torre de Belém (Portugal)
  9. Centro Histórico de Évora (Portugal)
  10. Gravuras rupestres do Vale do Coa (Portugal)
  11. Alto Douro Vinhateiro (Portugal)
  12. Centro Histórico do Porto (Portugal)
  13. Centro Histórico de Guimarães (Portugal)
  14. Santiago de Compostela (Espanha)
  15. Cidade velha de Salamanca* (Espanha)
  16. Conjunto arqueológico de Mérida (Espanha)
  17. Toledo (Espanha)
  18. Mosteiro de Guadalupe (Espanha)
  19. Medina de Tétouan (Marrocos)
  20. Ilha de St. Louis (Senegal)
  21. Centro Histórico de Roma (Itália)
  22. Cidade do Vaticano (Vaticano)
  23. Acrópole de Atenas (Grécia)
  24. Mosteiros de Meteora (Grécia)
  25. Tessalonica (Grécia)
  26. Istambul (Turquia)
  27. Parque de Göreme, Capadócia (Turquia)
  28. Hierápolis – Pamukkale (Turquia)
  29. Petra (Jordânia)
  30. Jerusalém (Israel/Palestina)
  31. Massada (Israel)
  32. Área de St. Catarina* (Egipto)
  33. Planalto de Gize (Egipto)
  34. Centro Histórico do Cairo (Egipto)
  35. Antiga Tebes e sua necrópole, Luxor (Egipto)
  36. Palácio da Musica Catalã e Hospital da Santa Cruz e São Paulo, Barcelona (Espanha)
  37. Obras de Antoni Gaudi em Barcelona (Espanha)
  38. Vale de Madriu (Andorra)
  39. Cidade fortificada de Carcassonne (França)
  40. Canal du Midi (França)
  41. Teatro Romano e Arco do Triunfo de Orange (França)
  42. Centro Histórico de Avignon (França)
  43. Pont du Gard (Aqueduto Romano) (França)
  44. Monumentos Romanos de Arles (França)
  45. Floresta de Laurissilva da Madeira (Portugal)
  46. Centro Histórico de Córdoba (Espanha)
  47. Catedral, Alcazar e Arquivo das Índias em Sevilha (Espanha)
  48. Centro Histórico de Cáceres (Espanha)
  49. Sitio arqueológico de Volubilis (Marrocos)
  50. Ksar de Ait Ben Haddou (Marrocos)
  51. Universidade e recinto histórico de Alcalá de Henares (Espanha)
  52. Medina de Marraquexe (Marrocos)
  53. Igreja de Boyana (Bulgária)
  54. Grande mesquita e hospital de Divriği (Turquia)
  55. Cidade antiga de Aleppo (Síria)
  56. Crack dos Cavaleiros (Síria)
  57. Sítio de Palmyra (Síria)
  58. Cidade velha de Damasco (Síria)
  59. Bosra (Síria)
  60. Anjar (Libano)
  61. Baalbek (Libano)
  62. Vale de Qadisha e Floresta dos Cedros de Deus (Libano)
  63. Byblos (Libano)
  64. Igrejas pintadas na região de Troodos (Chipre)
  65. Paphos (Chipre)
  66. Abadia de Westminster (Reino Unido)
  67. Cidade Episcopal de Albi (França)
  68. Área Protegida de Wadi Rum (Jordânia)
  69. Aldeias e Igrejas fortificadas da Transilvânia (Roménia)
  70. Centro histórico de Sighişoara (Roménia)
  71. Igrejas da Moldavia (Roménia)
  72. Residência dos metropolitanos de Bucovina e Dalmácia (Ucrânia)
  73. Centro histórico de L’viv (Ucrânia)
  74. Campos de concentração e extreminio nazis de Auschwitz Birkenau (Polónia)
  75. Centro histórico de Cracóvia (Polónia)
  76. Minas de Sal de Wieliczka (Polónia)
  77. Cidade do Luxemburgo, zonas históricas e fortificações (Luxemburgo)
  78. Igreja da Natividade (Palestina)
  79. Cidade fronteiriça de Elvas e suas fortificações (Portugal)
  80. Vale do Loire (França)
  81. Moinhos de vento de Kinderdijk-Elshout (Holanda)
  82. Linha de defesa de Amesterdão (Holanda)
  83. Canais concêntricos do século XVII dentro do Singelgracht em Amesterdão (Holanda)
  84. Casa de Rietveld Schröder (Holanda)
  85. Grand-Place de Bruxelas (Bélgica)
  86. Quatro elevadores do canal do Centro (Bélgica)
  87. Campanários da Bélgica e da França (Bélgica e França)
  88. Paris, margens do Sena (França)
  89. Igreja e colina de Vézelay (França)
  90. Templos megalíticos de Malta (Malta)
  91. Cidade de Valletta (Malta)
  92. Bolsa da seda de Valência (Espanha)
  93. Cidade velha de Segóvia e seu aqueduto (Espanha)
  94. Mosteiro e sítio de São Lourenço de El Escorial (Espanha)
  95. Cidade velha de Ávila e suas igrejas extra-muros (Espanha)
  96. Budapeste, incluindo as margens do Danúbio, o Castelo de Buda e a avenida Andrássy (Hungria)
  97. Centro histórico de Praga (Republica Checa)
  98. Ilha de Moçambique (Moçambique)
  99. Grande Zimbabwe (Zimbabwe)
  100. Colinas de Matopos (Zimbabwe)
  101. Cataratas de Vitória (Zimbabwe)
  102. Cidade-fortaleza de Fasil Ghebbi (Etiópia)
  103. Axum (Etiópia)
  104. Igrejas escavadas na Rocha em Lalibela (Etiópia)
  105. Paisagem Cultural de Aranjuez (Espanha)
  106. Estação de comboio de Chhatrapati Shivaji Terminus (Bombaím, Índia)
  107. Grutas de Elephanta (Índia)
  108. Igrejas e conventos de Velha Goa (Índia)
  109. Forte Vermelho (Índia)
  110. Túmulo de Humayun (Índia)
  111. Minarete de Qutab (Índia)
  112. Cidade de Jaipur (Índia)
  113. Locais Sagrados e Rotas de Peregrinação nos Montes Kii (Japão)
  114. Monumentos Históricos da Antiga Quioto (Japão)
  115. Monumentos Históricos da Antiga Nara (Japão)
  116. Monumentos Budistas na Região de Horyu-ji (Japão)
  117. Cidade Histórica de Trogir (Croácia)
  118. Catedral de São Tiago de Šibenik (Croácia)
  119. Parque Nacional dos Lagos de Plitviče (Croácia)
  120. Núcleo Histórico de Split com o Palácio de Diocleciano (Croácia)
  121. Templo do Céu, altar imperial de sacrifícios em Pequim (China)
  122. Palácio de Verão, jardim imperial em Pequim (China)
  123. A Grande Muralha (China)
  124. Grutas de Yungang (China)
  125. Cidade antiga de Ping Yao (China)
  126. Mausoléu do primeiro imperador Qin (China)
  127. Grutas de Longmen (China)
  128. Complexo de Túmulos Koguryo (Coreia do Norte)
  129. Monumentos e sítios históricos de Kaesong (Coreia do Norte)

* – Visitas inconscientes. Visitei estes locais muito superficialmente, ou há já muitos anos, pelo que ainda terei de voltar para os poder sentir.