Xi’an

0
Visitar a cidade de Xi'an na China

Não vou mentir: fui até Xi’an não pela cidade em si, mas pelos excepcionais locais que há em seu redor. Deixei pouco tempo para uma cidade que merecia bem mais.

Xi’an é uma das cidades mais importantes da China, tendo sido sua capital durante várias dinastias e ponto de partida para as caravanas da rota da seda.

Chego ao final do nono dia de viagem no país e, à primeira vista, a cidade não me cativa de todo. Chove bastante quando saio do metro, depois de uma viagem em comboio de alta velocidade desde Pingyao.

Num tom monocromático, o céu confunde-se com os edifícios no interior da cidade muralhada. As pessoas na rua são aos milhares. Os carros também.

Homem de bicicleta à chuva junto à torre do tambor em Xian, China
Xi’an num dia de chuva

A caminhada até ao hotel parecia ser mais pequena no mapa, mas a escala da China é enganadora. Chego todo molhado. A recepção do hotel parece não corresponder bem àquilo que esperava, mas o quarto, que é o que interessa, agrada-me. Fico no PuSu Jade Boutique Hotel, num quarto com vista para a formidável muralha que protege o núcleo da cidade.

Quarto do hotel Pusu em Xi'an, China
Quarto do meu hotel em Xi’an, China

Depois de lavar alguma roupa e descansar um pouco saio para explorar a cidade. O céu continua cinzento mas já não chove. Passo junto da torre do sino e sigo pela avenida principal, adornada de jardins floridos e lojas de marcas de luxo. Viro depois para o bairro muçulmano.

Fosso de água junto à muralha que protegia a cidade de Xi'an na China
Fosso de água junto à muralha que protegia a cidade
Canteiro com flores amarelas e vermelhas em rua de Xi'an, China
Rua florida em Xi’an, China

Conquistado pela boca no bairro muçulmano

Ao dobrar de cada esquina sinto-me a sair deste país. Há talhos com carne pendurada, há especiarias aos molhos. Dos grelhadores emanam cheiros que abrem o apetite. A atmosfera quente transporta-me para um país árabe. Só os olhos e os caracteres me recordam que estou na China.

Multidão de pessoas ao fim do dia no bairro muçulmano em Xi'an, China
Agitação ao fim do dia no bairro muçulmano de Xi’an

Ao contrário das ruas escuras por onde entro, naquela que desce da torre do tambor vive-se um festival de luz e sabores. Dominam os pregões, as espetadas de borrego, de lulas e de polvo.

Rapaz prepara carne para as espetadas nas ruas de Xi'an, China
Rapaz prepara carne para as espetadas

A comida que encontro aqui tem pouco a ver com a de Pequim, Datong ou Pingyao, por onde passei nos dias anteriores. Come-se de pé no meio da multidão. Uma espetada de carne custa 10RMB. Uma de lula (inteira), 20RMB. Sumos de romã, chá e banana frita ajudam a lavar o palato de tal dose de especiarias.

Deixo lugar marcado para jantar no dia seguinte.

Espetadas de lulas inteiras com especiarias
Espetadas de lulas inteiras com especiarias
Banana frita e espetadas de ovos de coderniz no bairro muçulmano de Xi'an, China
Banana frita e espetadas de ovos

As torres do sino e do tambor: uma explosão de cores

Com o cair da noite, a cidade ganha uma nova face. O céu já não está cinzento, mas preto. Tela perfeita para as cores vivas com que a luz pintou as torres do sino e do tambor. Detenho-me por alguns minutos a observar o espectáculo na fonte luminosa onde a água dança ao som de música clássica.

Torre do sino em Xi'an iluminada à noite
Torre do sino em Xi’an, China
Espectáculo de água luz e som junto à torre do tambor em Xi'an, China à noite
Espectáculo de água, luz e som junto à torre do tambor em Xi’an, China

No regresso ao hotel vejo uma cidade bem diferente daquela que me recebeu há poucas horas. O trânsito continua infernal, mas os prédios ganharam nova vida. Reparo agora, com a iluminação nocturna, que todos têm telhados tradicionais chineses. Pode ser apenas um pormenor, mas é daqueles que me fazem gostar de estar aqui, porque cidades há muitas, mas como estas, só na China.

fotografia nocturna de rua de Xi'an na China com edifícios com telhados iluminados
Xi’an à noite ganha um novo encanto

O mausoléu do imperador Qin e o seu exército de terracota

A principal razão da minha visita a Xi’an foram os famosos soldados de terracota postos a descoberto junto ao mausoléu do primeiro imperador da China.

O imponente exército que podemos ver hoje, deve a sua glória ao trabalho incansável das equipas de arqueólogos que desde a sua descoberta trabalham para os devolver à vida. Sobre este que é possivelmente o segundo monumento mais famoso da China (a seguir à grande muralha), irei escrever com mais detalhe brevemente.

Huashan

A segunda razão para passar por Xi’an foi o local para onde viajei de seguida: o monte Hua. Conhecido pelos seus trilhos vertiginosos e paisagens deslumbrantes, esta montanha sagrada para o Taoismo fica a 120 quilómetros a oeste de Xi’an.

Pavilhão do Xadrez nas montanhas de Huashan
Este artigo pode conter links afiliados.

Kit de Viagem

Quer organizar a sua viagem e ao mesmo tempo ajudar o projecto Dobrar Fronteiras? Siga os links abaixo para a suas reservas de hotéis, carros e seguros de viagem. Obrigado!

Olá! Eu sou o Samuel, autor do artigo que acabou de ler. Como você, também gosto de viajar e descobrir povos e lugares. Partilho neste blog as experiências vividas nos vários países por onde já andei. Pode saber mais sobre mim na página Sobre o autor. Espero que tenha gostado e, se tiver alguma coisa a acrescentar, deixe um comentário abaixo.

Ficou com dúvidas? Quer acrescentar alguma coisa? Deixe um comentário!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.