Grutas de Longmen, património UNESCO na China

0
Senhoras a limpar estátua grande de Buda
Cuidando de Buda

Nos arredores da cidade de Luoyang, capital da China durante vários períodos, encontra-se um dos mais ricos tesouros do país: as grutas budistas de Longmen.

Escavadas na rocha ao longo das margens do rio Yishui entre os anos 618 e 907, albergam estátuas de Buda, que vão desde os poucos centímetros, até mais de 17 metros de altura. No ano 2000 foram inscritas na lista de Património da Humanidade pela UNESCO.

Viagem para Luoyang – Longmen

A mais de 300km/h, a viagem de comboio desde as montanhas de Huashan, onde andei nos últimos dias, demora menos de uma hora. A nova estação dos comboios de alta velocidade fica numa zona nova da cidade, convenientemente perto das grutas de Longmen.

Como as minhas pernas pedem descanso, apanho um táxi que me leva até junto dos arranha-céus onde fica o meu hostel. O Bulingbuling Youth Hostel não fica a dever nada a um bom hostel de qualquer cidade europeia. O preço, 45RMB (uns 5 euros), por uma cama num dormitório de quatro é uma pechincha.

Os arranha-céus da zona nova de Luoyang, junto à estação de alta velocidade

O simpático proprietário que interrompe o almoço para me receber, oferece-me uma folha com indicações dos transportes para chegar aos locais de interesse nas redondezas. Para as grutas sugere-me o táxi, por 13RMB. É o que apanho.

As grutas estendem-se pelas duas margens do rio. Como a entrada da margem Poente está em obras, o taxista deixa-me na margem Nascente, um pouco mais afastada das grutas em si. O bilhete custa 90RMB, mais 10RMB para uma viagem de carrinho de golfe até à outra entrada onde, aí sim, começa a visita.

Margem Poente

A arcada de pedra sob a ponte dá entrada no complexo de grutas da margem Oeste do rio Yishui. As grutas e pequenos nichos vão-se estendendo ao longo da encosta escarpada. A comparação com as grutas budistas de Yungang que visitei dias antes parto de Datong, é inevitável. Estas são de dimensões mais modestas e, não existem as reconstruções de templos em madeira à sua frente.

Portão de acesso a Longmen
Entrando no complexo
Turistas nas grutas budistas de Longmen
As grutas estendem-se ao longo da encosta escarpada
Grutas budistas de Longmen e o rio
Bonito cenário, pena o smog…

Depois de caminhar algumas dezenas de metros, chega-se à escadaria que conduz às maiores estátuas do local. As dimensões e o detalhe impressionam. No local está uma visita de estudo, mas depois dos jovens partirem volta a calma. Fico com pena de não me ter preparado melhor para esta viagem, estudando um pouco do Taoismo e do Budismo chinês, para perceber que são estes gigantes que tenho diante de mim.

Estátua decapitada em gruta budista
Uma das muitas grutas de Longmen
Baixos relevos com imagens de Buda
Baixos relevos
grandes estátuas budistas em Longmen China
As maiores estátuas de Longmen

Continuo a minha caminhada para Sul e cruzo a ponte para a outra margem.

Margem Nascente

O bilhete é novamente picado para aceder ao conjunto da margem Este. As grutas e estátuas são bem mais modestas deste lado. O que vale mesmo a pena é a vista para o outro lado. Apesar do forte smog que turva o olhar, daqui sim consegue-se ter uma verdadeira noção da espectacularidade deste monumento.

Opto por não visitar um templo que o bilhete dá também acesso, tal é a escadaria a vencer para lá chegar. Cruzo o rio na outra ponte, passo pela nova entrada em obras e apanho o autocarro 60 que me deixa num cruzamento próximo do hostel.

Grutas da margem nascente de Longmen
Pelas grutas da margem nascente
Grandes estátuas de Buda em Longmen vistas do rio
As imponentes estátuas na outra margem do rio

Recta final

A viagem aproxima-se do fim. Saio para jantar num restaurante ali ao lado. As ruas são calmas para o que seria de esperar junto destes enormes arranha-céus habitacionais. Peço uma cerveja e fico no lobby do hostel a actualizar o meu diário.

Às 7h00 da manhã do dia seguinte caminho até à estação para apanhar o comboio para Pequim. Ao meu lado senta-se um alemão que vive em Hong Kong há uns 15 anos. Quando lhe digo que sou de Portugal diz-me que tem amigos em Leiria. Mundo pequeno.

A meio da manhã chegamos a Pequim, de onde dentro de menos de 24 horas apanharei o voo de regresso a Portugal.

Senhoras chinesas alegres de mota junto de turistas
Alegria no trabalho em Longmen

Este artigo pode conter links afiliados.

VAMOS VIAJAR?

Olá! Gostou do que leu? Subscreva a minha newsletter e receba no seu e-mail as últimas novidades do blog Dobrar Fronteiras.

KIT DE VIAGEM

Quer organizar a sua viagem e ao mesmo tempo ajudar o projecto Dobrar Fronteiras? Siga os links abaixo para a suas reservas de hotéis, carros e seguros de viagem. Obrigado!

  • Reserve o seu hotel no Booking.com
  • Alugue carro no destino em Rentalcars.com e viaje com mais liberdade
  • Contrate um seguro de viagem na IATI Seguros com desconto de 5% e viaje descansado.
  • Esqueça as taxas e comissões absurdas para levantar dinheiro no estrangeiro. Obtenha através deste link um cartão Revolut
Olá! Eu sou o Samuel, autor do artigo que acabou de ler. Como você, também gosto de viajar e descobrir povos e lugares. Partilho neste blog as experiências vividas nos vários países por onde já andei. Pode saber mais sobre mim na página Sobre o autor. Espero que tenha gostado e, se tiver alguma coisa a acrescentar, deixe um comentário abaixo.

Ficou com dúvidas? Quer acrescentar alguma coisa? Deixe um comentário!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.