De Ourém a Tomar – para além do castelo e do convento

0

Desafiado pela Associação de Bloggers de Viagem Portugueses (ABVP) para descobrir e partilhar um pouco mais de Portugal no âmbito da iniciativa #euficoemportugal, optei por ficar por perto de casa e estrear a autocaravana que acabara de adquirir.

Assim, partimos em família ao final do dia para passarmos a primeira noite na nossa nova “casa”, sem perder a chaminé de vista. Estacionamos junto à Área de Serviço de Autocaravanas de São Mamede, concelho da Batalha, já quase a chegar a Fátima e aí dormimos.

Na manhã seguinte partimos em direcção a Ourém. Cruzámos a Cova da Iria e a antiga Fátima e parámos poucos quilómetros à frente, no Santuário da Senhora da Ortiga.

Senhora da Ortiga

A lenda da Senhora da Ortiga remonta ao século XVIII e relata o milagre da cura de uma pastora muda que começou a falar depois do encontro com uma senhora que seria a aparição da Virgem Maria.

Em tempos de pandemia encontramos a igreja fechada. Este ano também não haverá a festa que normalmente aqui se celebra no primeiro domingo de Julho desde 1801.

Vale a pena uma paragem aqui para subir a um dos moinhos e apreciar as vistas para o castelo de Ourém e as Serras de Aire e Candeeiros.

Santuário da Senhora da Ortiga em Fátima
Santuário da Senhora da Ortiga em Fátima
Moinho e castelo de Ourém visto da Senhora da Ortiga, Fátima
O moinho e o castelo de Ourém ao fundo

Tinha pensado parar no castelo de Ourém, mas o sinal de proibição a veículos com mais de dois metros de largura demove-me: tenho medo de ficar entalado com a autocaravana logo na primeira saída. Seguimos por isso viagem até Alburitel.

Baloiço do Talegre

Diz que é “instagramável“. Tivesse só isso para oferecer e eu não teria subido até junto do marco geodésico (ou Talegre) que se eleva próximo de Alburitel, esta até agora, anónima aldeia do concelho de Ourém.

Subi até lá porque os baloiços alegram as crianças, especialmente a que vive dentro de nós.
Os baloiços nas nossas serras são demasiados e estão a tornar-se banais? Talvez. Mas os verdadeiros apaixonados continuarão a gostar de testar a resistência das suas cordas e de sentir o vento nos seus cabelos despenteados.

baloiço do Talegre em Alburitel
Ser criança por uns momentos

O acesso ao baloiço está sinalizado com placas de madeira logo a partir da saída do IC9. Os últimos metros da estrada não são asfaltados, mas acessíveis a qualquer viatura com o mínimo de altura. Há uma zona de estacionamento muito agradável para um picnic a uma curta caminhada do baloiço.

Daqui do limite do concelho de Ourém é um par de metros. Seguimos pelo trilho abaixo rodeados do verde da vegetação das serras, até à localidade de Fungalvaz, já no concelho de Torres Novas.

autocaravana em caminho na serra offroad
De autocaravana pelos caminhos das Serras de Aire e Candeeiros

Fórnea de Fungalvaz

A fórnea de Fungalvaz é um bonito recanto da natureza, no extremo Oeste das Serras de Aire e Candeeiros.

Por estes dias, sem chuva, no leito do rio há apenas pedras. A permeabilidade da paisagem cársica absorve a água para o subsolo.
Um local a regressar lá mais para o Outono ou Inverno, mas que merece uma visita em qualquer altura do ano.

Por esta altura encontro vegetação frondosa, flores e abelhas na azáfama da recolha do néctar.

caminhante a observar paisagem sobre rocha
Deslumbrado com a natureza na Fórnea de Fungalvaz

De Fungalvaz seguimos em direcção a Tomar. Cruzamos a linha do Norte, campos de cultivo e pequenas aldeias, até que nos detemos perante a obra que se ergue por cima da estrada.

Aqueduto dos Pegões

Impossível não ficar boquiaberto perante a beleza e magnificência do Aqueduto dos Pegões. Construído no século XVI com o propósito de abastecer o convento de Cristo, a um punhado de quilómetros dali, é ponto de paragem obrigatória numa visita a Tomar.

Com a devida cautela é possível caminhar pelo topo. O caminho apenas tem um pequeno muro ao início, mas na zona mais alta não tem qualquer guarda. Vertiginoso!

Aqueduto dos Pegões em Tomar
O incrível aqueduto dos Pegões

Tomar

Chegamos por fim a Tomar. Dirigímo-nos ao parque de Autocaravanas localizado bem próximo do centro da cidade. O espaço (de acesso gratuito) dispõem de balneários (fechados por estes dias) assim como as zonas para descargas e abastecimento de águas.

Já com todos os museus e monumentos fechados, passeamos pelos belos jardins nas margens do rio Nabão e percorremos as ruas do centro histórico até à praça da República, antes de jantar-mos num restaurante da cidade.

Ponte sobre o rio Nabão em Tomar
O rio Nabão cruza a cidade de Tomar

No dia seguinte, mais uma passagem pelos jardins e a incontornável nora que me recorda a minha passagem pela cidade de Hama na Síria, há exactamente dez anos.

Aproveitamos o dia para visitar a Sinagoga, o museu da Central Eléctrica, passear um pouco pelo jardim da Mata Nacional dos Sete Montes e, inevitavelmente subir até ao castelo. Fazemô-lo num dos Tuk-tuk que fazem viagens a partir da praça da República e descemos depois a pé. Com as restrições às visitas, optamos por não entrar neste que é para mim um dos mais fabulosos monumentos nacionais.

Nora em Tomar no rio Nabão
A nora continua a rodar tocada pelas águas do rio Nabão
muralhas do castelo de Tomar
Incríveis muralhas do castelo de Tomar

O dia passa “em menos de um fósforo” e já ao final da tarde fazemos uma visita ao museu da colecção de Aquiles da Mota Lima. Este museu, o conhecido Museu dos Fósforos era um local que desejava revisitar pois guardo a memória de por lá passar numa visita de estudo da escola primária. Quarenta e três mil caixas de 122 países compõem esta que é uma das maiores colecções de caixas de fósforos do Mundo.

homem a caminhar nem rua de Tomar com castelo
As muralhas estão sempre à espreita no horizonte de Tomar

Terminámos assim esta primeira parte do #euficoemportugal. Duas semanas depois voltaríamos à estrada para visitar a zona de Figueiró dos Vinhos e de Vila de Rei.

Mapa do percurso

Onde Dormir

Procurar hotel em Ourém

Procurar hotel em Tomar

Este artigo pode conter links afiliados.

VAMOS VIAJAR?

Olá! Gostou do que leu? Subscreva a minha newsletter e receba no seu e-mail as últimas novidades do blog Dobrar Fronteiras.

KIT DE VIAGEM

Quer organizar a sua viagem e ao mesmo tempo ajudar o projecto Dobrar Fronteiras? Siga os links abaixo para a suas reservas de hotéis, carros e seguros de viagem. Obrigado!

  • Reserve o seu hotel no Booking.com
  • Alugue carro no destino em Rentalcars.com e viaje com mais liberdade
  • Contrate um seguro de viagem na IATI Seguros com desconto de 5% e viaje descansado.
  • Esqueça as taxas e comissões absurdas para levantar dinheiro no estrangeiro. Obtenha através deste link um cartão Revolut
Olá! Eu sou o Samuel, autor do artigo que acabou de ler. Como você, também gosto de viajar e descobrir povos e lugares. Partilho neste blog as experiências vividas nos vários países por onde já andei. Pode saber mais sobre mim na página Sobre o autor. Espero que tenha gostado e, se tiver alguma coisa a acrescentar, deixe um comentário abaixo.

Ficou com dúvidas? Quer acrescentar alguma coisa? Deixe um comentário!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.